Incontinência urinária em idosos: mitos e verdades | Bigfral

Home  »  IdososSaúde   »   Incontinência urinária em idosos: mitos e verdades

Incontinência urinária em idosos: mitos e verdades


Incontinência urinária em idosos: mitos e verdades

1 mês atrás / 6 min de leitura

 A incontinência urinária é a perda involuntária da urina. Acontece com pessoas em diferentes faixas etárias apesar de ser uma condição mais frequente no sexo feminino, mas o distúrbio se torna mais frequente em idosos devido as mudanças no organismo, naturais do envelhecimento.

Abaixo traremos mais informações sobre a incontinência urinária em idosos, além dos mitos e verdades sobre o assunto!

O que é incontinência urinária?

A incontinência urinária é a perda de controle da bexiga, que pode se manifestar quando a pessoa espirra, tosse ou até mesmo ao rir de forma mais intensa. Ela é causada pelo enfraquecimento do esfíncter urinário e dos elementos de sustentação da uretra e da bexiga.

O que causa incontinência urinária em idosos?

A incontinência urinária em idosos pode se manifestar devido às mudanças no corpo e organismo, comuns do envelhecimento, e também por conta de medicamentos e determinadas doenças pré-existentes.

Alguns exemplos são:

  • Enfraquecimentos dos músculos pélvicos;
  • Aumento da próstata;
  • Menor capacidade para sustentação de líquidos na bexiga;
  • Dificuldade de locomoção;
  • Reações a um determinado medicamento;
  • Entre outros.

Quais os tipos de incontinência urinária em idosos?

Há diferentes tipos de incontinência urinária. Abaixo, listamos as mais comuns:

Incontinência urinária de esforço

É mais comum em mulheres, e acontece quando  a bexiga é pressionada, seja por atividades que envolvam segurar objetos pesados, ou ações bem mais simples como tossir, espirrar ou rir.

Incontinência urinária de urgência

Ocorre quando a vontade de urinar é intensa a ponto de não dar tempo de chegar até o banheiro. É mais comum em pessoas que possuem distúrbios neurológicos ou diabetes.

Incontinência urinária por transbordamento

Acontece quando a pessoa, ao urinar, não consegue esvaziar a bexiga completamente, e o restante vai transbordando em pequenas quantidades de forma involuntária. É mais em homens, devido ao aumento da próstata.

Incontinência urinária funcional

É ocasionada por uma limitação física ou mental que impede a pessoa de chegar a tempo ao banheiro, mesmo quando o controle da bexiga seja normal. Sabe quando você está chegando em casa e a vontade de urinar fica tão intensa que parece que não vai dar tempo de chegar ao banheiro? É uma sensação similar, e muitas vezes a pessoa não é capaz de se deslocar até lá rapidamente.

Incontinência urinária mista

É quando a pessoa possui mais de um tipo de incontinência urinária, como as apresentadas acima.

Problemas relacionados à incontinência urinária

A incontinência urinária em si já traz inúmeros prejuízos para a vida dos idosos, mas outros problemas provenientes dela afetam a rotina e o bem-estar. Confira abaixo alguns dos principais:

Infecções urinárias frequentes

Os escapes frequentes da urina podem acarretar também em infecções urinárias, já que há um aumento das idas ao banheiro e exposição a bactérias que podem ser encontradas nos vasos sanitários, papéis higiênicos de má qualidade e até mesmo dos resquícios nas roupas íntimas.

Impactos negativos na qualidade de vida

Quem sofre com a incontinência urinária, muitas vezes deixa de realizar tarefas fora de casa por medo de passar por algum tipo de constrangimento enquanto está em outros ambientes, onde o acesso ao banheiro seja mais escasso, por exemplo. Sendo assim, essa pessoa se priva da vida social, podendo desenvolver também depressão e distúrbios associados ao sono, como insônia devido ao isolamento.

Risco de quedas

A constante necessidade de ir o mais rápido possível ao banheiro, deixa os idosos sujeitos a quedas acidentais durante a locomoção, isso pode causar fraturas no corpo que acarretam a outros tipos de problemas mais sensíveis a idade.

Problemas com mobilidades também é um dos motivos do risco de quedas, seja pela vontade de ir ao banheiro e não ter ninguém por perto para ajudar, ou pela vergonha solicitar apoio. 

Como cuidar de idoso com incontinência urinária?

Estar preparado e ter empatia é o começo de tudo. Combinado a isso, conhecer as necessidades da pessoa idosa, a intensidade do fluxo do paciente e saber usar os melhores recursos para garantir uma melhor qualidade de vida.

Quais os cuidados de enfermagem para incontinência urinária?

Se você é cuidador de idosos ou da área da enfermagem, deve levar alguns cuidados em consideração:

  • O conforto do idoso/paciente;
  • Usar os produtos adequados para possíveis trocas de fraldas (caso seja uma necessidade da pessoa)
  • Recomendar e auxiliar nos exercícios pélvicos (quando há recomendação médica)
  • Organizar os medicamentos (também quando há recomendação médica).

Melhores fraldas geriátricas para idosos

Incontinência urinária em idosos

Além desses cuidados, as fraldas Bigfral podem ser grandes aliadas para idosos com incontinência urinária.

Os modelos se adaptam a cada necessidade, sendo eles:

Fralda Bigfral Derma Plus

Fralda com extratos naturais hidratantes, que ajudam a prevenir irritações. Garante até 10h de cuidado para pessoas com incontinência urinária severa.

Fralda bigfral derma plus
Fralda bigfral derma plus noturna

Fralda Bigfral Derma Plus Noturna

Com extratos naturais hidratantes, mantém a pele protegida e saudável, além de garantir até 12h de cuidado para noites tranquilas.


Qual remédio devo tomar para Incontinência urinária?

Normalmente, os remédios usados para tratamento da incontinência urinária atuam na diminuição da contração involuntária da bexiga. 

Lembrando que todo medicamento só deve ser usado sob orientação médica. Não recomendamos o uso de remédios sem prescrição de um médico que saiba avaliar os efeitos colaterais e a necessidade individual de cada paciente.

Como curar incontinência urinária?

A incontinência urinária não tem cura, mas tem tratamento. Somente o médico pode recomendar a intervenção ideal para cada pessoa, levando em consideração o grau do distúrbio e o organismo do idoso.

Como funciona o tratamento da incontinência urinária?

O tratamento de incontinência urinária pode ser medicamentoso ou não. São realizados exames e avaliações clínicas para que seja recomendado o melhor tratamento.

Tratamento não farmacológico

O tratamento não farmacológico, também conhecido como tratamento natural, pode complementar ou não o uso de medicamentos. Ele consiste em técnicas e procedimentos terapêuticos ou de fisioterapia que auxiliam no fortalecimento pélvico e ajudam a regular a bexiga.

Tratamento farmacológico

O tratamento farmacológico varia de cada paciente de acordo com as recomendações médica. O profissional sempre deve avaliar se os benefícios compensam o risco de possíveis efeitos colaterais. 

Normalmente, ele só é indicado para pessoas em que seja necessário aliviar e retardar o avanço de outras doenças provenientes da incontinência, como uma infecção de urina mais grave.

Como diagnosticar e tratar a incontinência urinária

Com o avanço da idade, alguns sintomas de incontinência urinária são identificados pelo próprio idoso, já que a frequência de idas ao banheiro aumenta, e a incapacidade de controlar a vontade de urinar se torna mais intensa.

Cerca de 30% a 60% das pessoas com mais de 60 anos convivem com esse distúrbio, sendo as mulheres as mais propensas a estarem nessas condições.

Tendo identificado que o escape de urina se trata de incontinência, o médico tem a missão de identificar qual o tipo, além de levar em consideração o histórico do paciente para um diagnóstico e tratamento corretos.

Em alguns casos, não é a condição física que desenvolve o problema, mas questões sociais. Por isso é importante observar o histórico de medicamentos, comorbidades, problemas de locomoção, Alzheimer, entre outros.

Incontinência nas mulheres e a menopausa

Por volta dos 40 a 50 anos, é quando a menopausa pode ter início no corpo da mulher. É um evento fisiológico completamente normal, caracterizado também pela ausência definitiva da menstruação. Mas além disso, é o momento em que a mulher começa a se preocupar com o envelhecimento, e consequentemente, com a possibilidade de sofrer com a incontinência urinária quando idosa.

Por isso, é importante, desde cedo, prevenir o enfraquecimento da região pélvica. Para esses casos, a fisioterapia pélvica é uma grande aliada, pois é uma especialidade que ajuda na reabilitação e fortalecimento do assoalho pélvico, o que possibilita retardar o distúrbio, prevenindo problemas futuros.

Conte com a Bigfral para te ajudar com a incontinência urinária

Se a incontinência urinária já é uma realidade na vida da pessoa idosa, o ideal é procurar ajuda profissional para receber a melhor indicação de tratamento, além de investir em alguns cuidados especiais, como: o uso de fraldas, frequentar lugares que possuam banheiros limpos a disposição, manter a higiene em dia para não acarretar em outras doenças e tratar o distúrbio como algo natural da vida.

A Bigfral entende a necessidade de cada idade, por isso traz soluções especiais voltadas às necessidades da terceira idade, com a linha especial Derma Plus. Ela auxilia não apenas no controle mais intenso das perdas urinárias, como também ajuda a controlar a dermatite, que é algo frequente em pessoas de mais idade que utilizam fraldas geriátricas.

Dessa forma, não há receio de não conseguir chegar ao banheiro a tempo, praticar atividades do dia a dia, ou até mesmo de participar de momentos importantes junto a amigos e familiares.