Não Consigo Segurar Urina O Que Pode Ser | Bigtfral

Home  »  Saúde   »   Não consigo segurar urina (O que pode ser?)

Não consigo segurar urina (O que pode ser?)


Não consigo segurar urina (O que pode ser?)

4 semanas atrás / 9 min de leitura

Antes de serem diagnosticados com incontinência urinária, muitas pessoas passam meses e, em alguns casos, até mesmo anos pensando “não consigo segurar urina, o que pode ser?”. 

Apesar do constrangimento e desconforto causado pela condição, a incontinência urinária é um problema muito comum, chegando a atingir 5% da população mundial, independente de sexo e idade. As mulheres, no entanto, são as que mais sofrem com a condição: o problema atinge 72% das mulheres acima dos 40 anos no mundo inteiro. Cerca de 20% são mulheres adultas, mas em idosas esse número pode chegar a até 50%.

Somente no Brasil, estima-se que cerca de 10 milhões de pessoas apresentam essa condição em algum nível, podendo ser leve, moderada ou grave.

Mas porque não consigo segurar a urina? A incontinência urinária caracteriza-se pela perda involuntária de urina e está associada a diferentes causas. Entre os possíveis responsáveis pela dificuldade em segurar o xixi, estão as alterações hormonais do corpo, a perda de massa muscular no assoalho pélvico, gestação e o parto, sobrepeso, tabagismo, lesões, entre outros. Geralmente, tais razões fazem com que mulheres tenham o dobro de chances de desenvolver o problema quando comparado aos homens.

Quando não consegue segurar a urina, o que pode ser?

A incontinência urinária pode ser causada por diferentes problemas de saúde ou situações que acontecem com o nosso corpo, o que faz com que para cada tipo de incontinência os sintomas e características sejam diferentes – o que pode dificultar a identificação da condição. Geralmente, as causas mais comuns são:

  • Efeitos colaterais de medicamentos;
  • Infecções urinárias ou vaginais (em mulheres);
  • Constipação intestinal;
  • Fraqueza nos músculos do assoalho pélvico;
  • Obstrução da uretra pelo aumento da próstata (em homens);
  • Doenças que afetam os nervos ou músculos;
  • Alguns tipos de cirurgia ginecológica e outras.

Após ser identificado o problema, é importante que o paciente comece o protocolo de tratamento o quanto antes, já que a incontinência urinária vai além de um problema físico, afetando também outras áreas como bem-estar emocional, psicológico e social.

Conheça abaixo os principais responsáveis pelos diferentes tipos de incontinência urinária existentes.

Infecções urinárias ou vaginais

Essas duas estão entre as causas da incontinência urinária feminina. A infecção urinária é uma infecção que afeta os órgãos do trato urinário e pode ser dividida em infecções da uretra (uretrite), da bexiga (cistite) ou do rim (pielonefrite). Em homens, podemos, ainda, englobar as infecções associadas à próstata (prostatite) ou aos testículos (orquite e orqui-epididimite).

Já a infecção vaginal surge quando o órgão genital feminino é infectado por algum tipo de microrganismo, como por exemplo bactérias, parasitas, vírus ou fungos. Em ambos os casos, as doenças podem desencadear uma incapacidade de prender a urina mas, ao contrário do que muitos pensam, o recomendado é que se consuma mais água e não menos.

Efeitos colaterais de medicamentos

Alguns medicamentos possuem substâncias, em sua fórmula, que fazem com que você vá ao banheiro com mais frequência. Nesses casos, o recomendado é que o indivíduo medicado diminua a ingestão de alimentos que possam causar perda involuntária de urina, como bebidas com cafeína.

Além disso, a recomendação é reduzir a ingestão de líquidos no período da tarde e não consumir após às 19h ou 20h, evitando assim perda de urina durante o sono.

Constipação intestinal

A constipação intestinal está diretamente relacionada à incontinência urinária. Isso acontece porque a constipação causa um estiramento do reto, comprimindo a bexiga. Durante a evacuação, pode ocorrer ainda de a força realizada lesionar a musculatura pélvica e, através da distensão, traumatizar e causar isquemia muscular.

Fraqueza de alguns músculos

A fraqueza da musculatura da região pélvica está entre as principais causas da incontinência urinária e pode ocorrer tanto em decorrência da idade avançada, como pode ser desencadeada por situações externas de esforço extremo, que pode acabar lesionando os nervos da região. Nesses casos, a bexiga perde sua capacidade de contração, fazendo com que a pessoa afetada não consiga mais segurar a urina, o que causa perdas involuntárias e, na maioria dos casos, incontroláveis.

Obstrução da uretra pelo aumento da próstata

A hiperplasia prostática benigna (HPB) é um aumento não canceroso (benigno) da glândula prostática, que pode dificultar a micção. Inicialmente, ela faz com que os homens que sofrem do problema tenham dificuldade para iniciar a micção ou para fazer a micção completa. Como a bexiga não esvazia completamente, os homens têm de urinar com mais frequência, geralmente durante a noite. Além disso, a necessidade de urinar também pode tornar-se mais urgente. Caso a obstrução seja prolongada, a bexiga pode esticar demais, o que causa incontinência por transbordamento.

Doenças que afetam os nervos ou músculos

Nesse caso, a incontinência é causada por doenças que afetam os músculos ao ponto da pessoa não conseguir identificar a vontade de urinar, o que faz com que ela acabe urinando na roupa sem perceber. Outro grande fator que contribui para esse tipo de incontinência, é o caso de pessoas acamadas ou com os músculos comprometidos, que não conseguem se deslocar até um banheiro.

Alguns tipos de cirurgia ginecológica e outras

Algumas cirurgias realizadas para retirada de tumores ginecológicos podem afetar a integridade dos nervos que vão para a bexiga e propiciar um distúrbio no controle voluntário do órgão, ocasionando a incontinência urinária. Além disso, outras cirurgias na região vaginal da mulher podem afetar a integridade do esfíncter uretral, enfraquecendo-o e facilitando a perda de urina.

Tipos de incontinência urinária

Tipos de incontinência urinária

O primeiro passo para tratar a incontinência urinária é descobrir exatamente de qual tipo você está sofrendo, já que existem variações dessa condição e o tratamento adequado sempre irá depender dos sistemas dos quais cada indivíduo está sofrendo. Para isso, se você está pensando “não consigo segurar urina, o que pode ser?”, o primeiro passo é buscar ajuda médica especializada.

Na consulta com o especialista, algumas informações não podem passar despercebidas, já que elas são fundamentais para que o médico entenda seu histórico, possíveis causas do problema e a forma como ele está afetando sua vida atualmente.

Entre os pontos que devem ser informados estão:

  • Todos os medicamentos consumidos atualmente;
  • Datas e resultados de todos os exames e cirurgias que tenham sido realizados ao longo da sua vida e que possam estar relacionados com a bexiga;
  • Hábitos de micção (frequência urinária diária).

Tais informações vão ajudar o médico a identificar onde está de fato a raiz do problema. Em alguns casos mais específicos, pode ser necessária a realização de exames de diagnósticos para uma investigação mais aprofundada, para que a partir do resultado seja elaborado um plano de tratamento apropriado.

Entre os exames que podem ser solicitados pelo especialista estão:

  • Exame de urina;
  • Medida do resíduo miccional;
  • Ultrassom;
  • Cistoscopia;
  • Teste de esforço;
  • Exame urodinâmico.

Após a realização dos exames, você pode ser diagnosticado com alguma das variações de incontinência urinária, como de esforço, de urgência, mista, funcional, por transbordamento ou por regurgitação. Saiba mais sobre cada uma delas e as suas possíveis causas:

Incontinência urinária de esforço

A incontinência urinária de esforço acontece geralmente nos casos em que o indivíduo não tem mais a força muscular pélvica necessária para reter a urina. Por conta disso, a perda urinária pode ser desencadeada até mesmo por esforços mais leves e que fazem parte do dia a dia, como por exemplo espirrar, tossir, rir, levantar pesos, em momentos de estresse ou durante a prática de qualquer tipo de atividade que exerça pressão sobre a bexiga.

Geralmente a incontinência urinária de esforço pode ser causada por danos aos músculos do assoalho pélvico e lesões aos nervos da região, que podem ser acometidos durante situações como por exemplo o parto. Nesses casos, o tratamento é bastante simples, com exercícios para incontinência urinária feminina ou medicamentos específicos. Nos casos mais severos, o médico pode recomendar que seja realizada cirurgia para reparar o local.

Incontinência urinária por urgência 

Como o nome já sugere, a incontinência urinária de urgência se trata de um desejo muito forte e repentino de urinar e que, por acontecer sem aviso prévio, muitas vezes faz com que o indivíduo não consiga nem ao menos chegar ao banheiro. Esse tipo de problema ocorre mesmo nos casos em que a bexiga ainda possui uma pequena quantidade de urina armazenada.

Também conhecida como bexiga hiperativa, a incontinência urinária de urgência pode ser causada por diferentes razões, mas geralmente indica a presença de um problema maior e que deve ser investigado por um profissional. Entre as causas mais comuns desta condição, estão: infecção da bexiga ou do trato urinário, inflamação, obstrução da bexiga ou pedras na bexiga.

Incontinência urinária mista

A incontinência urinária mista é a junção da incontinência urinária de esforço e da incontinência urinária de urgência e, por isso, pode vir em diferentes episódios.

Por vir em diferentes episódios – tanto urgência, como em esforços – a incontinência mista também pode estar associada a diferentes causas. Por esse motivo, é importante a orientação médica para um diagnóstico correto e preciso do problema.

Incontinência urinária por transbordamento

A incontinência por transbordamento ocorre em situações em que a bexiga fica tão cheia a ponto de transbordar. Ela pode ser causada tanto pelo enfraquecimento do músculo da bexiga, como pela obstrução à saída de urina.

O aumento da próstata, por exemplo, pode resultar nesta obstrução. Por este motivo, esse tipo de incontinência urinária costuma ser mais frequente em homens.

Incontinência por Regurgitação

A incontinência por regurgitação ocorre em casos em que o indivíduo não consegue esvaziar a bexiga por completo, o que faz com que ela vá se enchendo gradualmente de urina residual. Ela pode acontecer quando o indivíduo sofre com uma distensão progressiva da bexiga, perdendo aos poucos a capacidade de contração. 

Nesse tipo de incontinência urinária, a bexiga perde a sua capacidade de realizar o esforço necessário para eliminar toda a urina, o que faz com que ela vá acumulando volume de resíduos em seu interior. Entre as possíveis causas para esse problema está a obstrução do fluxo urinário.

Incontinência Funcional

A incontinência funcional acontece em situações em que a pessoa consegue reconhecer a vontade de urinar, mas por algum motivo está impossibilitada de ir ao banheiro. Entre esses motivos estão doenças ou alguma complicação física que a impede de chegar ao banheiro por conta própria.

Geralmente a incontinência urinária funcional está relacionada a problemas externos à bexiga e ao funcionamento do trato urinário. Nesses casos, o problema pode estar relacionado a condições que diminuam a consciência da necessidade de ir ao banheiro, como por exemplo doenças articulares, neurológicas ou problemas cognitivos graves.

O que fazer quando está com a urina solta?

Quer saber o que fazer quando está com a urina solta? Essa é uma dúvida muito comum entre as pessoas que sofrem com essa condição. Isso acontece porque a incontinência urinária, apesar de simples de ser tratada, pode trazer junto diversos outros problemas, tais como dificuldade de socialização, constrangimento, medo de sair de casa e acabar urinando em público, entre inúmeros outros.

Por esse motivo, o ideal é que quem já identificou o que pode ser quando não consegue segurar a urina, vá em busca de ajuda médica especializada. Isso é importante porque, como falamos, a incontinência urinária pode ter diferentes causas e o tratamento adequado depende de um diagnóstico preciso, que só poderá ser concedido pelo médico.

Em alguns casos, o profissional poderá receitar alguns medicamentos que são comumente utilizados para alguns tipos de incontinência urinária. Esses remédios, conhecidos como anticolinérgicos e por agonistas beta 3, têm como principal objetivo diminuir a frequência e a intensidade das contrações involuntárias da bexiga, atuando como uma espécie de calmante para o músculo.

Em alguns casos mais graves, pode ser recomendada também a cirurgia para correção do problema.

Além da utilização de fármacos, alguns casos menos severos podem ser corrigidos com o tratamento caseiro. O tratamento mais comum são os exercícios para incontinência urinária feminina, que são grandes aliados no fortalecimento dos músculos da pelve e da bexiga. Além disso, existem também outras formas de melhorar o problema, sendo as mais comuns:

  • Terapia comportamental, que consiste em ter horários fixos para ir ao banheiro, mesmo que não haja vontade de urinar;
  • Praticar exercícios perineais;
  • Regular o intestino, já que a prisão de ventre também pode agravar a incontinência urinária.
  • Cuidados com a alimentação, que consistem em evitar alimentos com substâncias que inflamam a bexiga, tais como como cafeína, álcool, frutas cítricas, fumo e alimentos apimentados.

Produtos para incontinência urinária feminina

Produtos para incontinência urinária feminina

Para ajudar a manter os hábitos do dia a dia de forma leve e tranquila, sem que seja necessário se preocupar com possíveis vazamentos que, além do constrangimento, causam desconforto e mal estar, alguns produtos podem ser grandes aliados. Conheça as principais formas de conviver com a incontinência urinária feminina.

Roupa Íntima Bigfral Moviment

A Bigfral Moviment é uma roupa íntima descartável ideal para incontinência moderada a intensa desenvolvida no estilo calcinha, especialmente para mulheres. Esse produto conta com tecnologia Wet Block, que absorve o líquido rapidamente, mantendo a umidade longe da pele. As barreiras de proteção antivazamento proporcionam segurança. Além disso, possui o Sistema Antiodor, que neutraliza odores, trazendo a sensação de frescor da pele.

Roupa Íntima Bigfral Moviment
Absorvente Bigfral Moviment Regular

Absorvente Bigfral Moviment Regular

O absorvente Bigfral Moviment Regular é ideal para incontinência leve. Esse produto conta com tecnologia que ajuda a absorver a urina rapidamente, mantendo a umidade longe da pele. Além disso, conta com barreiras de proteção antivazamento que proporcionam segurança e Sistema Antiodor, que neutraliza odores.

Fralda Clássica

A fralda clássica traz a segurança para trocas frequentes, com rápida absorção e barreiras antivazamento, sendo indicada para incontinência moderada a intensa. Possui canais de distribuição, mantendo a pele seca e protegida, além de contar com indicador de umidade.

Confira também nosso artigo: Tipos de incontinência urinária

Soluções para quem não consegue segurar a urina

A pergunta “não consigo segurar urina, o que pode ser?” é muito comum e, caso essa seja sua dúvida, o ideal é buscar sempre ajuda profissional para uma melhor resolução do problema.

Além disso, você pode sempre contar com a Bigfral Moviment para oferecer os melhores produtos para quem convive com a incontinência urinária e quer viver uma vida normal, com conforto, tranquilidade, bem-estar e a segurança necessária para realizar todas as atividades do dia a dia.