O que a fisioterapia pélvica trata (Guia 2022) | Bigfral

Home  »  Saúde   »   O que a fisioterapia pélvica trata?

O que a fisioterapia pélvica trata?


O que a fisioterapia pélvica trata?

6 meses atrás / 9 min de leitura

Muitas dúvidas pairam sobre o que a fisioterapia pélvica trata. Pois bem, ela é um procedimento natural especial para os músculos do assoalho pélvico. Este tratamento pode ser de grande ajuda e alívio para as mulheres, especialmente após o parto.

Muitas mulheres sentem dor pós-parto. Abrasões nos tecidos ou lesões musculares no assoalho pélvico após longas fases de prensagem ou o uso de obstetrícia mecânica podem resultar em lesões dolorosas e desagradáveis. E a fisioterapia oferece amplas possibilidades nas áreas da pelve e assoalho pélvico, bexiga e intestino, proporcionando alívio com o fortalecimento dos músculos da região.

Mas, além da gravidez, uma ampla variedade de causas pode prejudicar a função do assoalho pélvico e contribuir para que sua atividade e força diminuam, ou não sejam capazes de relaxar o quanto necessário. Essas causas, que podem ser desencadeadas pelo esforço físico contínuo, por vários motivos, também podem levar à fraqueza do assoalho pélvico e a outros distúrbios da função oclusiva, dos músculos esfincterianos da bexiga e do intestino. Não raramente, as causas psicossomáticas também desempenham seu papel no comprometimento funcional.

Uma possível consequência é o vazamento involuntário de urina ou até fezes por meio de esforços que ocorrem no dia a dia, como tossir, espirrar e até mesmo dar risada. O nome dessa condição é incontinência de esforço, e você pode saber mais sobre ela lendo este artigo!

O que é fisioterapia pélvica?

Os músculos do assoalho pélvico estão localizados entre o osso e o cóccix e eles têm cinco funções principais:

  1. Suportar os órgãos da pelve (bexiga, útero, intestinos) para que não possam afundar ou cair para a frente;
  2. Controla os movimentos urinários e fecais por contração ou relaxamento dos músculos do esfíncter para prevenir a incontinência;
  3. Permite a função sexual ideal por meio de contração e relaxamento, como o orgasmo, e promove a circulação sanguínea na área do assoalho pélvico;
  4. Estabiliza as articulações do quadril, o assoalho pélvico e a parte inferior das costas;
  5. Suporta o fluxo sanguíneo entre a parte superior e inferior das costas, como uma espécie de “bomba d’água”.

Com todos esses benefícios é necessário um exame intensivo e o questionamento do médico para um diagnóstico de cada caso e que vai permear o objetivo da terapia e ajudar a definir um plano adaptado às necessidades do paciente.

As medidas são adaptadas individualmente a cada paciente. A terapia pode ocorrer como terapia individual ou em grupo e o foco está em:

  • Aprender uma percepção consciente do região do corpo afetada;
  • Relação entre respiração, postura e assoalho pélvico;
  • Comportamento diário  do que é agradável para o assoalho pélvico;
  • Instruções para o treinamento correto;
  • Um programa individual de exercícios para a vida cotidiana.

Como funciona a fisioterapia pélvica?

Os exercícios do assoalho pélvico incluem vários exercícios com o objetivo de perceber e fortalecer os músculos do assoalho pélvico. Desta forma, a fraqueza e suas consequências podem ser evitadas, e os sintomas existentes podem ser tratados.

A maioria dos exercícios para o assoalho pélvico deve ser realizada em diferentes posições iniciais. Você deve começar deitado e, em seguida, desenvolver os exercícios sentando, em pé ou até mesmo caminhando.

Quando iniciar fisioterapia pélvica?

Quando iniciar fisioterapia pélvica?

Se os músculos do assoalho pélvico estiverem tensos, encurtados ou fracos, isso pode levar a sintomas desagradáveis ​​que também podem ser muito dolorosos. Um fisioterapeuta do assoalho pélvico pode verificar os músculos e determinar a causa dos sintomas.

Se você estiver com dor, o terapeuta pode tratar certos ligamentos musculares e pontos-gatilho. Também aprenderá um programa de exercícios de relaxamento e construção muscular que poderá continuar a usar em casa.

Incontinência urinária

Um problema comum em mulheres no pós-parto que os fisioterapeutas conhecem bem é a incontinência. O vazamento descontrolado de urina pode persistir por até seis meses após o parto e, infelizmente, por mais tempo em algumas mulheres. Mas vários tipos de incontinência são conhecidos e o primeiro passo recomendado é a fisioterapia pélvica:

Incontinência de esforço: perder urina em gotículas quando faz exercícios, por exemplo, quando tosse, espirra ou se exercita (corrida);

Incontinência de urgência: sentir uma necessidade urgente de urinar, frequentemente ou repentinamente, mesmo quando a bexiga não está cheia. No entanto, também é possível que não consiga iniciar o fluxo de urina voluntariamente ou que não consiga esvaziar totalmente a bexiga.

Urgência noturna para urinar, como acordar uma ou mais vezes durante a noite porque precisa ir ao banheiro com urgência.

Uma mistura de distúrbios da bexiga: vários sintomas de vontade de urinar que não podem ser claramente atribuídos.

Incontinência anal: problemas para manter seu esfíncter sob controle ocasionando a perda fezes e gases.

E essas são algumas das causas para procurar ajuda e fazer fisioterapia pélvica.

Noctúria

A noctúria é a necessidade noturna de urinar, quando você precisa ir ao banheiro duas ou mais vezes à noite. Isso pode perturbar seriamente o sono noturno e reduzir a qualidade de vida a longo prazo. A noctúria ocorre principalmente em idosos e é frequentemente considerada um sintoma inofensivo da velhice. No entanto, também pode ser um sintoma de uma doença e, portanto, deve ser esclarecido por um médico.

Essa condição é muito mais do que um sintoma desagradável da velhice. A micção noturna repetida torna quase impossível um sono reparador. Isso tem impacto na saúde e na qualidade de vida das pessoas afetadas: muitos sofrem de cansaço, dores de cabeça e dificuldade de concentração durante o dia. Além disso, a noctúria pode até mesmo desencadear ou piorar a depressão.

Ir ao banheiro à noite – especialmente em idosos – aumenta o risco de cair e causar ossos quebrados (fraturas) ou ferimentos piores. Portanto, a noctúria deve ser sempre esclarecida e tratada por um médico.

Ela não é uma condição independente, mas um sintoma que pode ocorrer em uma ampla variedade de distúrbios físicos. Basicamente, dois mecanismos levam à micção noturna excessiva: ou o corpo produz urina em excesso (poliúria) ou o trato urinário não funciona adequadamente.

A poliúria pode ter várias causas, por exemplo:

  • Insuficiência cardíaca: na insuficiência cardíaca, o coração bombeia apenas até certo ponto. O corpo, portanto, armazena água nas pernas durante o dia (edema nas pernas). À noite, quando você está deitado, o líquido é liberado novamente, o que leva a um aumento da vontade de urinar à noite. Outros sintomas de insuficiência cardíaca incluem diminuição do desempenho e falta de ar;
  • Diabetes: os diabéticos costumam ter sede excessiva e, portanto, claramente ingerem mais líquidos do que pessoas saudáveis. Como resultado, seu corpo também produz mais urina;
  • Função renal prejudicada: se os minúsculos filtros de sangue dos rins estiverem danificados, a albumina frequentemente se acumula na urina. A proteína se liga à água, razão pela qual mais urina é excretada;
  • Síndrome da apnéia obstrutiva do sono (SAOS): pessoas com apnéia do sono também costumam ter vontade de urinar à noite. Se você trata a apnéia do sono, o número de vezes que você vai ao banheiro à noite geralmente é reduzido;
  • Deficiência de ADH: normalmente, o hormônio antidiurético retarda a produção de urina à noite. No entanto, se o corpo não receber ADH suficiente, muita urina será produzida durante a noite. A produção noturna de ADH pode ser interrompida temporariamente, especialmente com trabalhadores em turnos: depois de mudar do turno da noite para o dia, a noctúria pode ocorrer brevemente;
  • Medicação: desidratantes, comprimidos de águaos chamados diuréticos – aumentam a produção de urina. Portanto, esses medicamentos não devem ser tomados à noite. Antagonistas de cálcio, antidepressivos da classe SSRI e antibióticos do grupo da tetraciclina também podem aumentar o volume de urina.

Dor pélvica crônica

Muitas novas mães se inscrevem para fisioterapia pélvica após o parto porque sofrem de dores no assoalho pélvico que podem se espalhar para outras áreas:

  • Dor no períneo: Uma ferida no períneo é um sintoma comum após o parto, especialmente se o períneo estiver rasgado ou cortado. O assoalho pélvico lesado, ou o tecido conjuntivo rompido ainda podem doer após o término do processo de cicatrização;
  • Dor durante o sexo que continua meses, ou às vezes anos depois de ter um filho;
  • Dor crônica, coceira ou queimação na vagina ou nos tecidos ao redor. Isso pode tornar o uso de roupas justas ou mesmo roupas íntimas insuportável;
  • Dor ao mover as articulações;
  • Síndrome da bexiga dolorosa (cistite);
  • Contrações musculares involuntárias;
  • Dor inexplicável na parte inferior das costas, quadris, nádegas, região pélvica e osso púbico.

Esses sintomas geralmente ocorrem quando os músculos do assoalho pélvico estão tensos ou encurtados, o que pode levar à inflamação das terminações nervosas e do tecido. Caso sinta algum desses sintomas, consulte um especialista imediatamente.

Se uma pessoa for diagnosticada com músculos vaginais fracos, isso significa que o útero, bexiga ou intestino grosso podem afundar e empurrar o interior da vagina. O diagnóstico para isso é prolapso de órgãos, que geralmente ocorre após o parto, especialmente em:

  • Uma longa fase de prensagem durante o parto;
  • Um parto usando pinça ou ventosa;
  • Cesariana;
  • Nascimentos múltiplos.  

Nesses casos, o médico, parteira ou fisioterapeuta do assoalho pélvico pode avaliar a gravidade da flacidez ou do incidente e traçar um plano de tratamento.

Qual a importância da fisioterapia pélvica?

A ginástica postural de Kegel ajuda muitas mulheres que sofrem de perda de urina devido à fraqueza dos músculos do assoalho pélvico.

Existem vários fatores de risco que podem desencadear a fraqueza do assoalho pélvico. Você descobrirá que a maioria desses fatores se aplica às mulheres. É por isso que as mulheres têm mais probabilidade de sofrer de fraqueza do assoalho pélvico do que os homens. Por isso a fisioterapia pélvica trata particularmente as mulheres.

Antes de iniciar os exercícios, você deve consultar um fisioterapeuta que lhe explicará a aplicação correta. Exercícios treinados incorretamente podem tensionar os músculos com mais força, tornando os sintomas ainda piores.

Os músculos do assoalho pélvico precisam ser construídos e treinados para que você possa ensiná-los e relaxá-los à vontade.

Quais os benefícios da fisioterapia pélvica?

Você pode primeiro perguntar ao seu ginecologista ou parteira sobre a fisioterapia pélvica. Pergunte se o seu terapeuta oferece apenas técnicas de treinamento do assoalho pélvico ou também um tratamento de gatilho para aliviar os músculos tensos ou encurtados.

O assoalho pélvico consiste em várias placas de tecido muscular e conjuntivo com aberturas para a uretra, vagina e reto. Ele mantém os órgãos abdominais em sua posição anatômica e nos permite reter a urina e as fezes ou eliminá-los na hora desejada. Este sistema pode ser enfraquecido mesmo em mulheres jovens. Os homens são igualmente afetados quando mais velhos. Essa fraqueza do assoalho pélvico pode ter consequências graves. Neste caso e também para prevenção, os exercícios regulares como a fisioterapia pélvica são importantes.

Quais os melhores produtos para incontinência urinária?

Quais os melhores produtos para incontinência urinária

Existem vários tipos de auxiliares de incontinência para pessoas com problemas urinários. Eles absorvem a urina e a prendem em seus tecidos. Para isolar odores, muitos deles têm o que é conhecido como um superabsorvente. Isso transforma a urina em gel e evita que as bactérias a decomponham. Mesmo com pressão externa, a urina não consegue escapar novamente.

Essa é a especialidade da Bigfral Moviment, que visa o bem estar e a qualidade de vida das pessoas com essa condição, que precisam de produtos adequados para ter uma vida normal com conforto e a discrição necessária.

Roupas íntimas

Mesmo fazendo a fisioterapia pélvica, alguns tratamentos podem levar tempo, portanto o uso de roupas íntimas descartáveis são importantes para manter o paciente em convívio com a sociedade se sentindo bem e seguro.

Os produtos da Bigfral Moviment têm essa premissa e, além de serem dermatologicamente testados possuem, Aloe Vera em sua composição, o que mantém o paciente livre de odores desagradáveis e a pele sempre saudável e hidratada.

Roupas íntimas femininas
Absorventes moviment

Absorventes

Já os absorventes são opções mais comuns para o grau 1 da incontinência por esforço e que pode ser reduzida com a fisioterapia pélvica que trata esse tipo de doença. Portando esse pequeno produto pode mudar a qualidade de vida de quem convive com essa condição.

Confira também nosso artigo: Fisioterapia pós-parto

Conte os melhores produtos da Bigfral Moviment

Nem todas as mulheres com fraqueza do assoalho pélvico percebem isso. É por esse motivo que todas as mulheres devem fazer exercícios para o assoalho pélvico regularmente como medida preventiva. Os sintomas ocorrem quando a vagina ou o útero não é mais sustentado suficientemente pelo assoalho pélvico e, portanto, cede. Isso pode ir tão longe que eles saem do corpo. Se já houver sintomas, os exercícios para o assoalho pélvico são particularmente importantes. Porque não só ajuda a prevenir os sintomas, como também pode melhorá-los ou até revertê-los. Esses sintomas incluem:

  • Dor abdominal;
  • Incontinência urinária e fecal;
  • Distúrbios de esvaziamento da bexiga e intestinos, até e incluindo refluxo para os rins (caso extremo);
  • Sensação de pressão no assoalho pélvico;
  • Sensação de corpo estranho;
  • Sensibilidade sexual diminuída. 

Além de informação, como esse artigo permite, é fundamental procurar ajuda médica para um tratamento com fisioterapia pélvica adequada. E é de extrema importância ter consciência que é uma condição comum para muitas pessoas e que têm marcas que se preocupam e têm sororidade com quem tem essa doença. Ou seja, muitos produtos à disposição para ter uma vida segura em sociedade. E esse é o lema da Bigfral Moviment.

Esperamos com esse artigo ter senado suas dúvidas sobre o que a fisioterapia pélvica trata. Não deixe de conferir nossos produtos, feitos pensando no bem estar de pessoas que sofrem com essa doença.

Se inscrever
Notificação de
guest
0 Comentários
Comentários em linha
Ver todos os comentários
0
Por favor, comente.x
()
x