Dermatite de Fralda Sintomas (Guia 2021) | Bigfral

Home  »  Idosos   »   Dermatite de fralda (Sintomas)

Dermatite de fralda (Sintomas)


Dermatite de fralda (Sintomas)

2 semanas atrás / 6 min de leitura

Com a chegada da maior idade, é comum em idosos haver casos de incontinência urinária. Quem tem essa condição necessita de tratamento e cuidados específicos, que precisam  desses cuidados precisam ser redobrados quando falamos de idosos, por terem a cútis mais frágil. Um tratamento inadequado pode acarretar em consequências, pois estão mais expostos a lesões na pele, como assaduras, dermatites e outras alergias.

Confira a seguir mais informações sobre a dermatite, suas causas, sintomas e tratamentos:

O que é dermatite?

A dermatite é uma doença inflamatória da pele que causa coceira, vermelhidão, bolhas e descamação. Em outras palavras, uma reação da pele que pode ser causada por diversos fatores, afetando pessoas de todas as idades, mas, principalmente, crianças e idosos.

Também conhecida como assadura ou dermatite amoniacal, é uma alergia inflamatória que pode aparecer em qualquer idade, geralmente é recorrente do uso constante de fraldas, afetando principalmente bebês e idosos com IU.

Qual é a causa da dermatite de fralda?

A dermatite de fralda pode ser causada por muitos fatores, contato com alguma substância da fralda onde pode haver alergia, aumento da temperatura e umidade no local, má higienização no momento da troca, contato prolongado com a urina, entre outros.

Quais os sintomas da dermatite de fralda

A dermatite pode aparecer de forma inesperada, assim, primeiramente sendo diagnosticada pelo próprio “portador”, e confirmada pelo médico. O primeiro e principal sintoma é a irritação na pele, além da secura no local, descamação, erupções na pele, descascamentos de vários níveis, fissuras, inchaços e vermelhidão. Outros sintomas principais são a coceira e o rubor.

Os sintomas da dermatite aparecem nos locais mais abafados do corpo, onde há dobras, e até nas áreas íntimas, mas pode acontecer dos sintomas aparecerem em qualquer lugar do corpo.

Fatores de risco da dermatite de fralda

A região de contato frequente com a fralda pode oferecer as condições ideais para as inflamações, alergias de pele etc. Isso acontece como consequência, já que o local é abafado e tem ficção com efeito irritante para a pele.

Existem vários fatores de risco para o surgimento da dermatite de fraldas, por exemplo:

  • Diarréia;
  • Incontinência urinária;
  • Leite de vaca;
  • Uso recente de antibiótico.

A dermatite também pode ser agravada caso tenha contato com pomadas que contém substâncias alérgicas, como o sulfato de neomicina, que é a maior causadora de alergias em qualquer idade no Brasil. Por isso, é importante procurar um médico assim que notar alterações na pele.

A dermatite de fralda é muito mais resistente de ser controlada em pessoas que são portadores de uma alergia hereditária, chamada de atopia, que se manifesta a partir da pele extremamente seca e com uma grande tendência a inflamar. A dermatite de fraldas tem tendência a reaparecer nesse grupo especifico de pessoas, pois ainda não há um tratamento eficiente para esse caso.

Como é feito o diagnóstico de Dermatite de fralda

Como é feito o diagnóstico de Dermatite de fralda

O único diagnóstico que pode ser fielmente considerado é o do médico dermatologista. O diagnóstico clínico é feito a partir da examinação da área afetada e teste de contato. Em alguns casos mais graves, biópsia. 

Como tratar Dermatite de fralda

A prevenção, sem dúvidas, é o fator mais importante no tratamento da dermatite de fraldas. 

Veja a seguir como tratar adequadamente a Dermatite de fralda:

  • Trocar com frequência as fraldas;
  • Manter a pele seca e limpa;
  • A limpeza deve ser feita com água morna e sabonete líquido neutro;
  • Evitar produtos irritantes, como sabão com textura, detergentes, amaciantes e lenços umedecidos que contém álcool;
  • Lavar as mãos antes e após a troca de fraldas;
  • Deixar a pele ventilando durante alguns minutos do dia ( de preferência no sol);
  • Secar bem as regiões de dobras afetadas;
  • Utilizar proteção de barreira (cremes à base de óxido de zinco, bepantol, amido).

Em algumas situações mais graves:

  • Pomada com corticóide de baixa potência;
  • Antifúngicos tópicos (nistatina, miconazol, cetoconazol);
  • Antibióticos tópicos indicados pelo médico.

Cuidados para evitar dermatite de fralda

Os cuidados a serem tomados para evitar a dermatite de fralda são:

  • Manter o local o mais higienizado possível;
  • Respeitar os horários de troca;
  • Deixar o local “arejado” por alguns minutos por dia;
  • Usar produtos adequados.

Outro cuidado importante é a frequência ideal para a troca de fraldas, o indicado é de três a seis vezes por dia, após cada episódio de urina.

Quais as melhores fraldas para dermatite

melhores fraldas para dermatite

Se você está a procura da fralda perfeita para quem tem dermatite, vou te dar a melhor resposta, Bigfral Derma Plus. Com fraldas especiais, diversificadas e feitas pensando na segurança e no bem estar da pessoa. A Bigfral preza pela qualidade de vida do idoso.

Além das fraldas tradicionais, a Bigfral trabalha com produtos especiais e seguros, como lenços umedecidos, oferecendo todo o suporte o suporte para uma higiene íntima completa. Das fraldas simples as noturnas, a marca é a melhor do mercado para te auxiliar nessas ocasiões.

Quais os tipos de dermatite

A dermatite por ser uma reação da pele ou inflamação, há diferentes tipos e categorias de gravidade. Confira algumas delas:

Dermatite atópica

A dermatite atópica é uma doença crônica, seu principal sintoma é a inflamação na pele, além de lesões e coceiras. Geralmente afeta pessoas com asma e rinite alérgica ou algum histórico familiar relacionado.

A causa da doença é desconhecida, atualmente sabe-se que a dermatite atópica não é uma doença contagiosa e sim uma doença hereditária.

Para o tratamento certo existem diversos medicamentos (indicados pelo médico)  que ajudam no controle da doença. As pomadas ou cremes de cortisona tópica são muito eficazes no controle da dermatite atópica. No entanto, devem ser indicadas e usadas corretamente para se evitar efeitos colaterais a longo prazo.

Dermatite de contato

A dermatite de contato, também conhecida como eczema, é a reação na pele devido ao contato com alguma substância que cause alergia ou inflamação na pele. Alguns produtos que podem causar a dermatite de contato são: cosméticos, sabão, detergente, bijuterias, perfumes entre outros.

O principal sintoma da dermatite de contato é a erupção vermelha no local, coceira intensa e inchaço. O tratamento indicado pelo profissional é relativo à gravidade dos sintomas, podendo ser pomadas ou até antibióticos.

Dermatite seborreica

A dermatite seborréica é uma inflamação na pele, geralmente na região da face e do couro cabeludo causando descamação e vermelhidão. É  uma doença crônica, com períodos de melhora e piora.

A causa dessa dermatite é desconhecida, a inflamação pode ter origem genética ou ser desencadeada por agentes externos, como alergias, estresse emocional, medicamentos e até excesso de oleosidade.

O tratamento é feito a partir do diagnóstico do dermatologista, e em alguns casos a partir de exames clínicos como biópsia e teste de contato. Para precaver uma crise desse tipo de dermatite é importante ter cuidados como:  O uso de cremes/pomadas também com antifúngicos e, eventualmente, com corticosteróide, dentre outros especificados pelo dermatologista.

Dermatite de estase

A dermatite de estase geralmente acontece em pessoas com insuficiência venosa crônica. Onde o sangue se coagula na perna e resulta na perda de fibrina, inflamação local e necrose celular.

Os sintomas são eritema, descamação, exsudato e formação de crostas, tais que podem piorar e levar a uma infecção secundária. Se tratado de forma inadequada  a dermatite de estase progride para ulceração. Seu diagnóstico é feito através de um exame clínico e seus tratamentos são: Elevação, compressão e curativos, e algumas vezes, antibióticos por via oral ou corticoides tópicos.

Dermatite esfoliativa

A dermatite esfoliativa é um distúrbio inflamatório da pele, seus sintomas são eritema e descamação. Esse tipo de dermatite pode estar relacionado a outras doenças dermatológicas, doenças sistêmicas ou ao uso de drogas.

Para o tratamento através de um médico dermatologista, e em alguns casos com auxílio do clínico geral.

Dermatite herpetiforme

A Dermatite Herpetiforme é uma doença autoimune, seus sintomas são uma aglomeração de bolhas vermelhas, além de edemas. O que causa esse tipo de dermatite é o glúten presente em produtos como trigo, centeio e cevada, fazendo com  que o sistema imunológico ataque.

O diagnóstico é feito a partir de uma biópsia da pele e seu tratamento se baseia em uma dieta regrada sem glúten, Dapsona e outros medicamentos indicados pelo médico.

Dermatite numular

Dermatite numular é uma inflamação da pele caracterizada por lesões eczematosas em forma de disco. Sendo mais comum em pessoas da meia idade e mais velhos. Esse tipo de dermatite é muito associado à pele seca.

O diagnóstico é feito a partir de um médico clínico e o tratamento é feito com fototerapia e corticoides tópicos.

Confira também nosso artigo: Como colocar fralda em idoso para não vazar

Melhor forma de evitar a dermatite de fralda.

Para evitar a dermatite de fralda, a melhor forma é com os melhores produtos e cuidados. A Bigfral junta esses dois benefícios, visando a melhor performance no mercado e o bem estar de seus clientes. Além de várias formas para se adaptar e, acima de tudo, evitar problemas como a dermatite e outros tipos de inflamações na pele.

Use os produtos da Bigfral e comprove somos os melhores em cuidados íntimos!