O que fazer em casos de escape de urina? | Bigfral

Home  »  Mulheres   »   O que fazer em casos de escape de urina?

O que fazer em casos de escape de urina?


O que fazer em casos de escape de urina?

4 semanas atrás / 5 min de leitura

Os escapes de urina frequentes, em pequena ou grande quantidade, caracterizam um quadro de incontinência urinária. A incontinência pode atingir pessoas de diferentes idades, por razões variadas, de forma temporária ou permanente. Se você tem experienciado perdas involuntárias de urina, é necessário procurar um profissional de saúde. Muita gente acredita que os escapes de urina são normais com a “idade avançada”, mas a incontinência, em qualquer idade, deve ser diagnosticada e tratada por um médico. Descubra neste artigo quais são as principais causas do escape de urina e as alternativas de tratamento. 

Prevalência e impacto na qualidade de vida

Uma pesquisa realizada pelo IPEC, em parceria com Bigfral, mostrou que 30% da população brasileira sofre com a incontinência urinária – desse público, 68% são mulheres. O impacto da qualidade vida é grande. O mesmo estudo revelou que 89% dos que sofrem com a incontinência urinária sentem vergonha; 61% evitam sair de casa; 42% evitariam eventos sociais e 77% evitariam ir a locais sem banheiro próximo. Esse isolamento da vida social pode, inclusive, se tornar um fator de risco para o desenvolvimento de transtornos mentais. Por isso, é essencial buscar o tratamento especializado e formas de lidar com os escapes de urina no dia a dia. 

Importância de procurar orientação médica

Somente um profissional de saúde poderá fazer o diagnóstico detalhado, caso a caso, sobre a causa do escape de urina. Com o diagnóstico e o histórico médico do paciente, ele vai indicar a melhor via de tratamento. Não se automedique nem busque remédios caseiros, sem comprovação científica. Eles podem piorar a situação ou causar efeitos colaterais indesejados e desconhecidos.

Causas do escape de urina

O escape de urina pode ser associado a diversos fatores: envelhecimento, menopausa, doenças neurológicas, gravidez e infecções no trato urinário. Veja como ela pode acontecer nestes diferentes casos:

Gravidez e parto

A gravidez, por si só, é um fator de risco para o desenvolvimento da incontinência urinária – logo no pós-parto ou futuramente, com a idade mais avançada. O peso da barriga provoca uma pressão que é capaz de enfraquecer os músculos do assoalho pélvico. Ainda não há um consenso científico se a via de parto é determinante para provocar escapes de urina posteriormente. Alguns estudos sugerem que o parto vaginal aumentaria o risco, outros, porém, ressaltam que há mais fatores envolvidos como o tempo de trabalho de parto e o uso do fórceps. 

Envelhecimento

O envelhecimento é uma das principais causas dos escapes de urina. Com o tempo, os músculos do assoalho pélvico podem enfraquecer e perder sua capacidade de controle, em homens e mulheres. A parcela feminina da população é a mais afetada pela incontinência urinária, em razão da menopausa. A queda dos níveis de estrogênio nessa fase pode resultar em alterações na mucosa uretral, tornando-a mais fina e menos capaz de manter a continência urinária, dando aquela sensação de “urina solta”. Nos homens, o aumento do tamanho da próstata, comum com o avançar da idade, também pode causar escapes de urina. 

Infecções do trato urinário

Infecções do trato urinário (ITU) são uma causa comum de escapes de urina, especialmente em mulheres. As ITUs afetam a uretra, bexiga ou rins e podem causar irritação e inflamação nos tecidos, resultando em sintomas como urgência urinária, dor ao urinar e, em alguns casos, incontinência. Para quadros como esses, o médico pode indicar um tratamento com antibióticos.

Doenças neurológicas

Doenças neurológicas, como a esclerose múltipla, doença de Parkinson, acidente vascular cerebral (AVC) e lesões na medula espinhal, podem comprometer a comunicação entre o cérebro e a bexiga, levando aos escapes de urina. Nestes casos, a capacidade de controlar a micção pode ser prejudicada, exigindo abordagens específicas de tratamento que visem a causa da doença e incluam estratégias para gerenciar a incontinência.

Hábitos alimentares e ingestão de líquidos

O consumo excessivo de cafeína e álcool, por exemplo, pode irritar a bexiga e aumentar a produção de urina, levando a episódios isolados de escape de urina ou até ao desenvolvimento de uma incontinência urinária temporária. Além disso, dietas ricas em alimentos picantes ou ácidos podem desencadear sintomas em algumas pessoas. Lembre-se, porém, que reduzir a ingestão de líquidos com medo da incontinência pode ter o efeito reverso. A urina concentrada irrita a bexiga e pode causar escapes de xixi. 

Controlando o escape de urina

Depois do diagnóstico da incontinência urinária, a pergunta natural é: o escape de urina tem cura? A resposta a essa questão depende da causa do problema. A boa notícia é que para todos os casos há tratamento e estratégias de gerenciamento da incontinência. Porém, para isso, é preciso uma avaliação médica para determinar qual a mais recomendada. Conheça algumas delas:

Fisioterapia pélvica

Além de remédios anticolinérgicos, o médico pode indicar a fisioterapia pélvica, com exercícios para fortalecer a musculatura da região e controlar os escapes de urina. Durante as sessões de fisioterapia pélvica, um fisioterapeuta especializado avalia a função dos músculos do assoalho pélvico e desenvolve um programa personalizado de exercícios e técnicas. Os exercícios de Kegel são frequentemente incorporados, visando fortalecer os músculos responsáveis pelo suporte da bexiga e da uretra. Além disso, técnicas de biofeedback podem ser utilizadas para auxiliar na conscientização e controle desses músculos, permitindo que o paciente aprimore sua capacidade de coordenar contrações e relaxamentos. A fisioterapia pélvica também inclui orientações sobre postura, respiração e hábitos diários que influenciam a saúde do assoalho pélvico.

Uso de absorventes e fraldas específicos 

Existem absorventes e roupas íntimas descartáveis específicos para a incontinência urinária em adultos. Eles são grandes aliados para que você consiga levar uma vida normal, sem se privar dos eventos sociais, enquanto faz o tratamento para a incontinência urinária. Bigfral é líder no mercado de cuidados para incontinência e criou uma linha completa de produtos de alta qualidade para lidar com todos os tipos de escapes de urina. A roupa íntima descartável veste como uma calcinha ou uma cueca comum, mas conta com a praticidade e a segurança do descartável. As roupas íntimas descartáveis Bigfral são discretas, confortáveis e com alto poder de absorção. 

Para pacientes acamados ou com restrição de movimento, temos também fraldas de qualidade, específicas para cada nível de incontinência: moderada, intensa ou severa. 

Quem tem incontinência leve ou moderada e prefere usar absorvente, pode contar com o Absorvente Bigfral 3 em 1, que tem rápida absorção e cobertura suave, mantendo a pele seca por mais tempo. 

Discussão aberta e aconselhamento sobre escolhas adequadas

A vergonha e o medo de falar sobre a incontinência urinária podem levar quem sofre com o problema a se isolar e a não procurar tratamento adequadamente. Em geral, os escapes de urina não representam grande perigo à vida do paciente, mas são um desconforto que prejudica e muito a qualidade de vida. Por isso, Bigfral trabalha para abrir o diálogo, trazendo informação e conscientização sobre a necessidade cuidar da incontinência com o tratamento adequado e estratégias de controle dos escapes de urina. 

Lidando com os escapes de urina no dia a dia

A primeira coisa a fazer em casos de escape de urina é ir à farmácia e escolher um bom absorvente ou roupa íntima descartável, assim você se sentirá seguro para dar os próximos passos. Depois, é hora de procurar um médico de confiança para realizar o diagnóstico detalhado, descobrir a causa do problema e indicar a melhor via de tratamento.Bigfral oferece os melhores absorventes e roupas íntimas descartáveis para lidar com os escapes de urina no dia a dia, proporcionando conforto e segurança em todas as ocasiões. Você não precisa limitar seus movimentos ou se retirar da vida social por medo dos escapes de urina. Conheça nossa linha completa e conte com Bigfral: segura quando não dá pra segurar.

Se inscrever
Notificação de
0 Comentários
Comentários em linha
Ver todos os comentários
0
Por favor, comente.x