Sintomas da menopausa aos 47 anos | Bigfral

Home  »  Saúde   »   Sintomas da menopausa aos 47 anos

Sintomas da menopausa aos 47 anos


Sintomas da menopausa aos 47 anos

3 semanas atrás / 5 min de leitura

A transição para a menopausa costuma causar muitas dúvidas, angústias e inseguranças nas mulheres. É uma transição do corpo, que muitas vezes exige mudanças no estilo de vida e cuidados extras com a saúde. A idade em que os sintomas começam a aparecer varia de mulher para mulher, mas, em média, eles surgem aos 45 anos. Os 47 anos, portanto, podem ser considerados uma fase aguda de mudanças. Descubra neste artigo os sintomas da menopausa e quando eles iniciam.

O que é menopausa?

Tecnicamente falando, a menopausa é o fim dos ciclos reprodutivos femininos e é marcada pela última menstruação da vida de uma mulher. A partir de então, ela não poderá mais gerar filhos de forma biológica. Muitas se perguntam como saber se estão “entrando na menopausa”, mas o termo mais correto seria “entrando no climatério”. O climatério corresponde a toda fase de transição: a pré-menopausa (quando começam as oscilações hormonais), a menopausa propriamente dita e a pós-menopausa. 

Idade típica da menopausa

As oscilações hormonais da pré-menopausa, marcadas pela diminuição da produção de estrogênio, podem começar a partir dos 40 anos. Se o fim da menstruação acontece antes dessa idade, considera-se que a mulher entrou em menopausa precoce. A idade comum de início dos sintomas é aos 45 anos, atingindo um pico aos 47 anos (a depender da data de início). A última menstruação costuma ocorrer entre os 50 e 52 anos, caracterizando a menopausa propriamente dita. Essas são idades de referência clínica, mas vale lembrar que podem ocorrer muitas variações individuais. Segundo os dados do Ministério da Saúde, a menopausa pode durar dos 40 aos 65 anos.

Fases da Menopausa

A menopausa ou, melhor dizendo, o climatério, se divide em fases. Veja o que acontece no corpo em cada uma delas e como identificar os sintomas: 

Perimenopausa

Um dos primeiros sintomas da pré-menopausa (também chamada de perimenopausa) é a irregularidade menstrual. Os sangramentos começam a ficar mais espaçados e o fluxo também começa a variar. Isso acontece pela diminuição da produção dos hormônios sexuais pelos ovários, notadamente o estrogênio. Nessa fase, porém, a mulher continua sendo capaz de engravidar, embora as probabilidades comecem a diminuir gradativamente. Outros sintomas, como as ondas de calor e a secura vaginal também já podem surgir. A duração desse estágio é bastante variável, mas, em média, pode se estender de três a oito anos.  

Menopausa

A menopausa é confirmada após 12 meses sem um sangramento menstrual. Os exames para detectar a menopausa não são muito precisos, pois até que os ciclos se encerrem completamente, a taxa hormonal pode variar muito. O diagnóstico clínico costuma ser suficiente. A partir desse momento, a mulher não passa mais pelo ciclo de ovulação e menstruação, e os níveis de estrogênio ficam consideravelmente baixos, aumentando o risco de doenças como a osteoporose. A depender do histórico e do estado de saúde da paciente, o médico poderá recomendar a reposição hormonal.

Sintomas comuns aos 47 anos

Se a transição para a menopausa normalmente começa aos 45 anos, aos 47 anos as mudanças corporais e os sintomas do climatério podem ficar bastante intensos. Veja quais são os mais comuns:

Fogachos

Os fogachos, também conhecidos como “ondas de calor”, são um dos sintomas mais comuns da menopausa. Caracterizados por uma súbita sensação de calor intenso que se espalha pelo corpo, os fogachos muitas vezes são acompanhados por sudorese e palpitações. Esses episódios podem ocorrer várias vezes ao dia e contribuem significativamente para o desconforto físico durante o climatério. 

Distúrbios do sono

As flutuações nos níveis hormonais, como a diminuição dos níveis de estrogênio, assim como as próprias ondas de calor podem contribuir para a insônia, a dificuldade em dormir profundamente e despertares noturnos frequentes no climatério. A baixa qualidade do sono pode levar à fadiga, irritabilidade e outros impactos na saúde física e emocional. 

Alterações de humor

As alterações de humor, como irritabilidade, ansiedade e tristeza, são sintomas emocionais associados à menopausa. O estrogênio desempenha um papel significativo na regulação do humor e o declínio de suas taxas durante o climatério afeta o equilíbrio emocional das mulheres. No entanto, é preciso ficar atenta: se a tristeza ou ansiedade forem profundas e frequentes, inviabilizando até mesmo atividades diárias, é preciso procurar o apoio especializado de um psicólogo e investigar o caso mais a fundo. 

Alterações no ciclo menstrual

A irregularidade menstrual é uma característica marcante da menopausa. À medida que a mulher se aproxima dessa fase, o ciclo menstrual torna-se irregular, com períodos mais espaçados ou mais curtos. Aos 47 anos, essa irregularidade costuma estar bastante avançada, com menstruações cada vez mais espaçadas. 

Secura vaginal

A queda nos níveis de estrogênio também contribui para a secura vaginal, outro sintoma comum da menopausa. A diminuição da lubrificação pode levar à dor durante o sexo, coceira e aumento do risco de infecções urinárias. O médico pode indicar lubrificantes vaginais e terapias hormonais locais para aliviar o desconforto.

Incontinência Urinária

A menopausa também é um dos fatores que aumenta a ocorrência de incontinência urinária entre as mulheres. A musculatura da bexiga fica excessivamente ativa ou irritada, levando a necessidades urgentes e súbitas de ir ao banheiro e à perda involuntária de urina – os chamados “escapes”. Bigfral criou roupas íntimas descartáveis especialmente pensadas para as mulheres que precisam lidar com escapes de urina. Elas funcionam como uma calcinha, mas têm a praticidade e a segurança dos descartáveis. São modelos discretos e confortáveis, que te permitem continuar em movimento e viver a maturidade sem medo. Confira a nossa linha completa aqui. Mas lembre-se, é essencial um acompanhamento médico para melhor mapeamento do caso. Bigfral: segura quando não dá pra segurar. 

Reconhecimento da individualidade dos sintomas

A maneira como cada mulher vai passar pela menopausa vai depender muito do seu estilo de vida, dos cuidados com a saúde, além do apoio profissional e familiar. A menopausa frequentemente coincide com outras mudanças de vida, como saída dos filhos de casa, divórcio, transições profissionais. Por isso, é sempre importante tratar o assunto de maneira integral, respeitando a individualidade e as condições de vida específicas.

Adotar um estilo vida mais saudável é uma atitude importante para atravessar os inúmeros desconfortos dessa fase com mais leveza. Pode até parecer repetitivo, mas, parar de fumar, diminuir o consumo de bebidas alcoólicas, fazer exercícios regularmente e ter uma dieta equilibrada são práticas que realmente melhoram a qualidade de vida em qualquer idade, mas especialmente após os 40 anos. Com todas as mudanças hormonais do climatério, se recuperar de excessos pode se tornar cada vez mais penoso para o organismo. Seu corpo já está passando por grandes mudanças, oferecer a ele uma rotina saudável vai ajudá-lo a passar por elas com mais suavidade e vitalidade. 

Importância do apoio médico e psicológico

Cerca de 65% das mulheres só começam a falar sobre menopausa ou só procuram ajuda profissional após entrarem no climatério. No entanto, quanto mais cedo você começar a se preparar para essa transição, maiores as chances de passar por ela de forma mais leve. Informação, diálogo, apoio médico e psicológico são fundamentais para que essa fase natural da vida não se torne um sofrimento. 

Uma pesquisa encomendada pela Bigfral e realizada pelo Instituto Datafolha mostrou que 41% das mulheres afirmam se sentir menos femininas com a chegada da menopausa. Ainda que a perspectiva social já esteja se transformando, o impacto emocional de encarar o processo envelhecimento e o fim da capacidade de engravidar pode ser grande. Na mesma pesquisa, 34% das entrevistadas dizem ainda ter vergonha de falar sobre o assunto.

A Bigfral trabalha para mudar esse cenário, trazendo mais consciência, informação e diálogo aberto sobre o tema. O amadurecimento feminino não deve ser tabu. Criamos o movimento Juntas e Seguras com o objetivo de ajudar mulheres a falar de forma aberta e descomplicada sobre a menopausa. Assim, contribuímos para a formação de um ambiente mais acolhedor para que elas não se sintam isoladas ou estigmatizadas. No nosso site você vai encontrar diversos conteúdos exclusivos para te apoiar nessa jornada.

Se inscrever
Notificação de
0 Comentários
Comentários em linha
Ver todos os comentários
0
Por favor, comente.x