Quais São as Consequências do Sedentarismo | Bigfral

Home  »  Saúde   »   Quais são as consequências do sedentarismo?

Quais são as consequências do sedentarismo?


Quais são as consequências do sedentarismo?

1 mês atrás / 7 min de leitura

Ter uma rotina regrada de saúde e bem-estar não é fácil, isso nós sabemos. Mas me conta, quais são os motivos que te distanciam de praticar exercícios? Sua rotina permite um tempo para que você cuide da sua saúde? Confira quais são as consequências do sedentarismo. 

A primeira reflexão que você precisa fazer é como tem se alimentado e movimentado o seu corpo. A América Latina é a região com o maior índice de sedentários e o Brasil lidera o ranking, com cerca de 47% da sua população vivendo de forma sedentária, segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS). 

Com a pandemia do coronavírus,  a desculpa para não inserir as atividades físicas na sua rotina por falta de tempo não é mais aceita, pois, além das comorbidades serem fatores de risco para a doença, o tempo em casa serviu para organizar diversos setores de nossas vidas e mudar muitos hábitos.

A atividade física, como sabemos, não é apenas benéfica para o nosso corpo, mas também colabora para a saúde mental e essa mudança de hábito pode, inclusive, salvar sua vida.

Não temos muitos benefícios em ser uma pessoa sedentária, mas existem muitas consequências. Acompanhe esse artigo que irá te contar quais são as consequências de ter uma vida sedentária e o que fazer para evitar isso.

O que é sedentarismo?

Sedentário é qualquer pessoa, de qualquer idade, que não tem o hábito de fazer qualquer tipo de atividade física de forma regular. Mesmo que você seja uma pessoa ativa, mas não faz atividades de forma constante, você é considerado sedentário. 

Nossos hábitos diários definem o tipo de vida que queremos levar no futuro. Esse baixo gasto energético faz com que nosso corpo queira sempre permanecer em repouso e inserido em atividades de baixo esforço. 

Ele não está relacionado somente à obesidade, mas o hábito de não praticar nenhum tipo de atividade física resulta nos piores quadros de saúde, como câncer, diabetes e doenças cardíacas. O sedentarismo tem relação com o seu estilo de vida, e com os hábitos que você conquistou ao longo dos anos.

Pessoas mais jovens possuem a tendência de não levar a sério a falta de exercícios físicos, isso acontece porque nessa fase é comum que o metabolismo seja acelerado, o que contribui para a queima de calorias rapidamente. O quadro fica um pouco diferente com o passar dos anos e merece atenção. 

Precisamos entender que qualquer movimento já conta, quando se trata de rotinas que não possuem muitos espaços para esse estilo de vida. Vai à padaria? Experimente fazer uma caminhada até lá ou até mesmo se aventurar numa bicicleta. Todo o esforço conta para movimentar o seu corpo. 

O que significa ser sedentário?

O que significa ser sedentário?

O sedentarismo possui sintomas, e conforme o nível se agrava, eles começam aparecer e a dificultar a sua qualidade de vida. Alguns sintomas podem ou não estar relacionados a essa condição, porém qualquer predisposição já se agrava se o corpo deixa de estar em movimento. Os principais sintomas são: 

  • Dor nas articulações devido ao excesso de peso e/ou falta de movimentação da articulação;
  • Acúmulo de gordura abdominal e no interior das artérias;
  • Aumento excessivo do peso e até mesmo obesidade, em determinados casos, pelo fato de que não existe gasto calórico e/ou de energia;
  • Roncos durante o sono e apneia do sono;
  • Cansaço excessivo;
  • Falta de força muscular

Algum desses sintomas lhe é familiar? Pois a notícia não é boa. Quem leva uma vida sedentária possui maior risco de contrair doenças cardiovasculares, como AVC e infarto, maior tendência à diabetes do tipo 2 e o quadro se agrava quando a condição vem de mãos dadas com uma alimentação rica em processados e açúcar. 

Tipos de sedentarismo

Existem 4 tipos de sedentarismo e eles são divididos em níveis. Quanto maior seu grau de inatividade, mais dentro do espectro de níveis do sedentarismo vai se encaixar. Os níveis possuem relação com a quantidade de atividade física e não possuem as mesmas características para todos. Confira como são divididos abaixo: 

Sedentarismo nível 1  

Para se enquadrar no nível 1 do sedentarismo, a pessoa não realiza exercícios de intensidade médias e intensas, apenas caminhadas leves e não atingem o total de 150 minutos de movimentação durante a semana. É o tipo de sedentarismo considerado menos grave. 

Sedentarismo nível 2

Esse é o nível mais comum, são aquelas pessoas que ocasionalmente fazem  algum tipo de atividade, como carregar algum móvel, uma faxina que exija maior esforço, carregar as sacolas de supermercado e etc. Mas mesmo assim, não possui uma frequência dessas atividades.

Sedentarismo nível  3

Sabe aquela pessoa que evita toda e qualquer movimentação e até para ir na padaria na próxima quadra prefere recorrer ao carro? Ela provavelmente se enquadra no nível 3. São pessoas que evitam a todo custo o esforço físico e geralmente passam o dia todo sentadas.

Sedentarismo nível 4

É a sua forma mais grave. Não existe nessa categoria nenhum esforço físico, nem os do cotidiano. A pessoa não se lembra de quando foi a último contato que teve com atividades físicas e opta por passar os dias sentado ou até mesmo deitado. Esse grau de inatividade é o mais perigoso.

Uma forma de categorizar uma pessoa sedentária é através do seu índice de massa corporal (IMC). Alguns médicos utilizam esse cálculo na diferenciação dos tipos de sedentarismo, de forma que uma pessoa com IMC menor que 1,5 ou que faça menos que 150 minutos de atividade física durante a semana é considerada sedentária. 

Veja as consequências do Sedentarismo

A principal consequência do sedentarismo é o risco de doenças graves e que podem levar à morte rapidamente. Um estudo da Faculdade de Medicina da USP (FMUSP) em parceria com a Universidade de Newcastle (Austrália) em 2021, mostrou que o sedentarismo e a ansiedade se destacam como a principal comorbidade relacionada à asma. 

Para entender como a ausência de atividades físicas podem impactar seu corpo a longo prazo e comprometer a sua saúde, listamos algumas doenças diretamente atribuídas a uma vida sedentária: 

Doenças cardiovasculares

Por estar relacionado ao sobrepeso, o sedentarismo é um dos principais causadores de problemas relacionados ao coração, como a hipertensão, trombose, infarto e até o causador de um derrame: o AVC. 

Diabetes

O sedentarismo é o terreno perfeito para o surgimento de diabetes do tipo 2, que acontece devido ao excesso de açúcar no sangue e quando não cuidada pode ter muitas complicações. Outro ponto de atenção, é que a alimentação desequilibrada somada a falta de atividade física, pode levar o organismo a ficar resistente à insulina.

Obesidade

Esse é talvez o resultado mais conhecido do sedentarismo, porque ele pode se perceber no acúmulo de gordura da pessoa e o aumento de peso é um dos primeiros sintomas a aparecer. Para ser considerada uma pessoa obesa, considera-se a pessoa que gasta menos de 2.200 calorias por semana. 

O maior agravante é uma alimentação repleta de guloseimas consumidas em repouso na frente da TV ou do computador. O excesso de gordura vem acompanhado de doenças como a diabetes, doenças cardiovasculares, colesterol em níveis altos e hipertensão. 

Atrofia

O comprometimento de músculos e articulações aparecem no sedentarismo como consequência do excesso de tempo em repouso. Ele causa a atrofia dos músculos apresentando dificuldade de movimentar os membros, como dobrar as pernas, levantar os braços, abaixar-se e etc.

Ansiedade e depressão

Sim, o sedentarismo também aumenta o risco de doenças como a depressão, ansiedade e até mesmo as chances de demência. Nossa mente está ligada à falta de movimento muito mais do que a maioria pensa. Principalmente quando falamos de pessoas já idosas.

Câncer

Uma matéria feita pelo Instituto Vencer o Câncer mostra que mulheres ativas fisicamente com no mínimo 4 horas semanais dedicadas a algum tipo de exercício reduzem em até 60% o risco de câncer de mama. Porém, vemos que a obesidade e o sedentarismo possuem seus tipos de cânceres favoritos e são comorbidades responsáveis por: 

  • 20% dos casos de câncer de mama;
  • 50% do endométrio;
  • 25% do cólon;
  • 37% do adenocarcinoma de esôfago.

Problemas cardíacos

A saúde do coração merece uma atenção especial quando o assunto é sedentarismo. Isso porque as outras doenças relacionadas ao quadro são fatores de risco para doenças cardiovasculares, como a obesidade e diabetes do tipo 2.

Outras comorbidades podem aparecer em pessoas com estilo de vida sedentário, como por exemplo, a perda de flexibilidade, o metabolismo inferior, a osteoporose, os vários distúrbios do sono, cansaço excessivo, e até mesmo a mortalidade precoce. Isso nos faz pensar o quanto a mudança de alguns hábitos podem evitar questões graves na saúde e trazer benefícios para a rotina. 

Como combater o sedentarismo?

A Organização Mundial da Saúde (OMS) diz que após iniciar uma rotina de hábitos saudáveis para combater o sedentarismo, em 3 meses já é possível reverter esse quadro. Mas é necessário que a disciplina e o comprometimento sejam seus aliados na mudança de hábito para manter seu corpo em movimento. Abaixo algumas dicas para você que decidiu dar aquele passo na mudança de vida: 

  • Tenha uma alimentação saudável

Evite alimentos gordurosos, processados e ricos em açúcar. Prefira alimentos naturais como: legumes, verduras, cereais, sementes, produtos integrais, proteínas magras e beba bastante água.

  • Descanso adequado

Regule seu sono. Ele é muito importante para alguns processos físicos do seu corpo e a saúde mental. E, claro, para a renovação das energias também. 

  • Atividades físicas

Preparada? A prática precisa acontecer de forma regular e acima de 150 minutos por semana para deixar de ser uma pessoa sedentária. Além de ter aquela energia renovada pela descarga de endorfina e o bem-estar promovido pelas atividades. 

  • Acompanhamento médico

Faça um check up anual, mesmo que não tenha nenhuma predisposição para doenças. O acompanhamento médico é fundamental para identificar doenças no estágio inicial. 

Por onde começar?

Quais são as consequências do sedentarismo

Apesar de não ser uma doença, o sedentarismo precisa ser combatido. A decisão de se movimentar e mudar seus hábitos alimentares pode ser uma atitude que vai mudar sua vida nos próximos anos.

Qualquer movimento é importante para quem não faz nenhuma atividade física. O mais indicado é consultar um médico e fazer um check up para verificar como está seu organismo. Precisamos sempre considerar o condicionamento atual de cada pessoa.

Um ponto importante são as horas que passamos na mesma posição em frente ao computador. Algumas empresas possuem  o hábito da ginástica laboral para que os funcionários façam intervalos para se movimentar, mas com o home office, essa prática pode ter sido deixada de lado. Por isso, é importante que sejam feitas pausas de no mínimo 15 minutos para esticar o corpo

Esse artigo lhe foi útil? Compartilhe para chegar em mais pessoas. 

Se inscrever
Notificação de
guest
0 Comentários
Comentários em linha
Ver todos os comentários
0
Por favor, comente.x
()
x