Ganho de peso na menopausa | Bigfral

Home  »  Saúde   »   Ganho de peso na menopausa

Ganho de peso na menopausa


Ganho de peso na menopausa

3 meses atrás / 5 min de leitura

Além das ondas de calor, das mudanças de humor e do ressecamento vaginal, muitas mulheres na menopausa se preocupam com o ganho de peso. Sim, esse também é um dos possíveis efeitos das alterações hormonais experimentadas desde a pré-menopausa. É importante lembrar, contudo, que nem todas as mulheres passam por essa questão, tudo vai depender do seu estado de saúde e do seu estilo de vida. Cada organismo tem as suas especificidades ao atravessar esse período.  O fato é que a correlação entre a menopausa e o ganho de peso existe. Então, o que fazer para controlar o ganho de peso na menopausa? Será que a reposição hormonal engorda? A resposta para essa e outras dúvidas você encontra a seguir.

O que é menopausa?

A menopausa é um estágio natural na vida de uma mulher, que marca o fim de sua capacidade reprodutiva. Geralmente, ocorre entre os 45 e 55 anos, embora a idade exata possa variar. Nessa fase, os ovários diminuem gradualmente a produção de hormônios sexuais, especialmente estrogênio e progesterona, o que pode causar aquela série de sintomas conhecidos: ondas de calor, alterações de humor, ressecamento vaginal, incontinência urinária, dores de cabeça e insônia. Tecnicamente falando, a menopausa é confirmada depois de 12 meses de ausência da menstruação. A fase anterior, de irregularidades no ciclo menstrual, e posterior à parada definitiva dos sangramentos é chamada de climatério. 

Fatores contribuintes para o ganho de peso na menopausa

A terapia de reposição hormonal é indicada para algumas mulheres, com o objetivo de aliviar os principais sintomas do climatério e da menopausa. Só um profissional de saúde qualificado poderá recomendar o tratamento e avaliar se os benefícios são maiores do que os riscos. De acordo com a Sociedade Norte-Americana de Menopausa, a reposição hormonal é contraindicada para mulheres que tiveram câncer de mama e de endométrio, doença hepática, histórico de coágulos e doenças cardiovasculares. 

Ao contrário do que muitas mulheres pensam, a reposição hormonal não engorda. Na verdade, o ganho de peso está associado à queda estrogênio; não é a reposição dos hormônios que faz o corpo engordar. O que acontece é que, frequentemente, mesmo com a reposição hormonal, a mulher na menopausa ganha peso. A terapia alivia alguns sintomas, mas não é 100% eficiente para controlar todos os efeitos da menopausa. Veja quais são os principais fatores que levam ao ganho de peso na menopausa: 

Diminuição dos níveis de estrogênio

O ganho de peso durante a menopausa está intrinsecamente ligado à diminuição dos níveis de estrogênio, um hormônio fundamental para o metabolismo e a distribuição de gordura no corpo. A redução desse hormônio, aliás, é a principal causa da maioria dos sintomas da menopausa. Com a redução dos níveis de estrogênio, ocorre uma alteração no modo como o corpo armazena gordura, favorecendo o acúmulo especialmente na região abdominal. Por isso, muitas mulheres observam que depois da menopausa, o tamanho da barriga aumenta.

Metabolismo mais lento

A menopausa traz consigo uma desaceleração natural do metabolismo, tornando o corpo menos eficiente na queima de calorias em repouso. A redução da taxa metabólica basal contribui para um desequilíbrio energético, onde a ingestão calórica muitas vezes supera a quantidade de calorias que o corpo queima. Isso pode levar ao ganho de peso, se não forem ajustados os hábitos alimentares e a atividade física.

Alterações na composição corporal

O envelhecimento do corpo, por si só, já diminui os níveis de massa magra e aumenta a proporção de gordura corporal. Mas as alterações hormonais da menopausa também contribuem para este desbalanço. O estrogênio atua nos músculos, no fígado, nas células pancreáticas produtoras de insulina e no tecido adiposo (gordura), prevenindo o acúmulo de gordura. Os níveis baixos de estrogênio na menopausa, naturalmente, causam um desequilíbrio metabólico. 

Mudanças no estilo de vida e atividade física

As mudanças no estilo de vida desempenham um papel significativo no ganho de peso durante a menopausa. Uma dieta menos equilibrada, escolhas alimentares menos saudáveis, aumento no consumo de álcool e a diminuição da atividade física podem contribuir para o desequilíbrio calórico. Além disso, muitas mulheres enfrentam desafios como alterações de humor e cansaço, o que pode impactar a motivação para manter um estilo de vida ativo. O esforço de manter uma alimentação balanceada, a prática regular de exercícios e a gestão do estresse são essenciais para controlar o ganho de peso durante a menopausa. Sim, perder peso na menopausa é mais desafiador, mas é possível. Não há receita milagrosa, a não ser a dieta saudável e os exercícios físicos regulares. 

Efeitos do ganho de peso para a saúde na menopausa

Não é só uma questão de estética. O ganho de peso na menopausa pode implicar em riscos para a saúde. Veja a seguir como esse fator pode ocasionar em diversas outras situações:

Riscos para a saúde cardiovascular

O acúmulo de gordura, especialmente na região abdominal, tem sido correlacionado ao aumento da pressão arterial, níveis elevados de colesterol e maior predisposição a doenças cardíacas. Além disso, a menopausa por si só já é um fator que pode contribuir para alterações nos vasos sanguíneos e no sistema cardiovascular. Portanto, o excesso de peso nesse período tende a acentuar esses riscos. 

Aumento do risco de diabetes Tipo 2

O ganho de peso durante a menopausa também está associado a um aumento do risco de desenvolver diabetes tipo 2. A resistência à insulina, comum em pessoas com excesso de peso, pode se agravar nesse estágio da vida, contribuindo para a elevação dos níveis de glicose no sangue.

Impacto na saúde óssea

A menopausa aumenta os riscos do desenvolvimento de osteoporose, pois contribui para a perda da densidade óssea, deixando o corpo mais suscetível a fraturas. Embora o excesso de peso possa oferecer alguma proteção inicial contra a perda de densidade óssea, especialmente em áreas como a coluna vertebral. O peso adicional não distribuído uniformemente aumenta a carga nas articulações, contribuindo para o desgaste e aumentando o risco de osteoartrite. Além disso, a associação entre obesidade e inflamação crônica é capaz de influenciar negativamente os processos metabólicos que mantêm a saúde dos ossos.

Necessidades nutricionais específicas durante a menopausa

Mais do que focar em emagrecer na menopausa, o importante é cuidar da alimentação, fazendo uma dieta equilibrada e repondo nutrientes essenciais para esta fase, como o cálcio e a vitamina D. O cálcio é encontrado em derivados do leite, vegetais verde-escuro e peixes ricos em ômega-3 como salmão e sardinha. Os níveis saudáveis de vitamina D são repostos, sobretudo, através da exposição à luz solar, mas, dependendo do caso, seu médico pode receitar um suplemento vitamínico. 

Monitoramento e acompanhamento médico

Menopausa não é doença, trata-se de um processo natural de transição do corpo feminino. Mas, sim, é preciso ter uma atenção especial à saúde nessa fase e contar com um acompanhamento médico qualificado. Além do ginecologista, o ideal é ter uma equipe multidisciplinar. Um nutricionista pode te ajudar a compor uma dieta personalizada para as suas necessidades e o apoio de um psicólogo contribui no gerenciamento do estresse e das inúmeras transformações emocionais trazidas pelo amadurecimento. 

O ganho de peso na menopausa também está associado ao maior risco de desenvolver incontinência urinária, pois tende a enfraquecer os músculos do assoalho pélvico. É importante lembrar, porém, que a incontinência pode estar ligada a outras alterações da menopausa, como a diminuição do estrogênio. Nessas horas, nada de apostar em dietas malucas, que colocam em risco a sua saúde. Procure o médico para entender a melhor abordagem, que frequentemente exige uma integração de estratégias como alimentação, fisioterapia, exercícios e, eventualmente, medicação. 

Enquanto o tratamento se desenrola, você não precisa se afastar dos eventos sociais por causa do medo dos escapes de urina. Bigfral desenvolveu uma linha de roupas íntimas descartáveis perfeita para te oferecer conforto, discrição e segurança. Você veste como uma roupa íntima comum, mas tem a praticidade do descartável, além da tecnologia de absorção e controle de odores. Conheça nossa linha completa e continue em movimento com Bigfral.

Se inscrever
Notificação de
0 Comentários
Comentários em linha
Ver todos os comentários
0
Por favor, comente.x