Como Trabalhar a Inteligência Emocional no Seu Dia a Dia | Bigfral

Home  »  Comportamento   »   Como trabalhar a inteligência emocional no seu dia a dia

Como trabalhar a inteligência emocional no seu dia a dia


Como trabalhar a inteligência emocional no seu dia a dia

1 mês atrás / 10 min de leitura

Essa habilidade é a que pode ser decisiva para a sua realização pessoal e o alcance do sucesso. Hoje a inteligência emocional é considerada uma soft skill muito importante para o mercado de trabalho, e também é um caminho para uma vida saudável no aspecto físico e mental.

Situações cotidianas como problemas financeiros, desentendimentos familiares e saúde debilitada, são exemplos que podem transformar a forma como reagimos aos estímulos externos. Nesse momento percebemos como é difícil lidar com nossos próprios sentimentos. E é aí onde se encaixa a inteligência emocional. Esses acontecimentos não podem reger como dirigimos nossas vidas, por isso surge a necessidade de racionalizar situações que nos tiram do centro.

Estamos vivendo tempos antes nunca vistos, a revolução tecnológica, a busca por  produtividade no trabalho e a vida social, sofreram uma mudança de estrutura que exige muita resiliência e controle emocional. Não podemos nos esquecer que também estamos na reta final de uma pandemia que parou o mundo, e recuperar o tempo perdido pode estar mexendo com a vida de muitas pessoas. 

As nossas emoções frequentemente ditam nosso comportamento, fazendo com que pequenas frustrações e desentendimentos ocasione respostas rápidas e muitas vezes inadequadas para o ambiente. É nesse momento que a Inteligência emocional se faz necessária. Ela chega para garantir que nosso cérebro funcione em harmonia e para que as percepções das emoções alheias e as nossas sejam melhores direcionadas e não que sejamos controladas por elas. 

Mas afinal, o que é a tal da Inteligência Emocional? Neste artigo vamos aprender como aplicar de forma prática a Inteligência Emocional em nosso dia a dia e como ela pode te ajudar a ter uma vida melhor.

O que é inteligência emocional?

Como o próprio nome já diz, inteligência emocional, ou IE, é o conceito que resume a habilidade de uma pessoa que é capaz de identificar seus sentimentos e suas emoções com mais facilidade. Pode ser entendida de duas formas: 

  • A capacidade da pessoa de saber usar as suas emoções a seu favor, administrando-as;
  • A capacidade de compreensão das emoções dos outros.

É uma das formas de evitar estresse, inclusive doenças psicossomáticas, pois é através dessa habilidade que o indivíduo consegue pensar, sentir e agir de maneira mais consciente e inteligente, evitando que os sentimentos tomem o controle de sua vida.

O primeiro estudioso a se referir a esse tema foi Charles Darwin quando disserta sobre a importância que a IE teve na sobrevivência e adaptação humana. Mais tarde, ela foi objeto de estudo de muitos outros pesquisadores, e podemos destacar o psicólogo Daniel Goleman por ser referência, sendo denominado como pai da Inteligência Emocional. Ele sistematizou a IE em pilares e desenvolveu importantes estudos para despertar a compreensão do que é o termo na prática.

É importante elencar que o que torna uma pessoa bem sucedida em ambiente acadêmico ou profissional são uma série de ações como: uma boa dose de dedicação, esforço e muita disciplina. Mas não podemos esquecer que a inteligência emocional chega como um suporte não só para essas áreas de vida, mas como em todas as nossas relações humanas. 

Entender como nossos sentimentos se comportam diante de muitas situações nos prepara para vivermos melhor, antecipando situações desagradáveis. Entender como agir em várias circunstâncias depende de como nossos sentimentos, pensamentos e atitudes são gerenciadas ao longo de nossas vidas.

Esse comportamento pode gerar grandes oportunidades ou fechar muitas portas. Vai depender da forma como escolhemos lidar com esses momentos.

Para nossa sorte, essa é uma habilidade que pode ser desenvolvida ao longo de nossa vida, porém é preciso ter um olhar voltado para a compreensão dos nossos sentimentos e os sentimentos de outros.

Dicas sobre como desenvolver inteligência emocional

Dicas sobre como desenvolver inteligência emocional

Com a rotina apertada e momentos em que somos engolidos por trabalho ou situações que podem nos tirar do eixo, como dominar nossos sentimentos? Aqui vamos falar de maneira prática como trabalhar para o desenvolvimento dessa habilidade e ter a inteligência emocional como aliada na sua vida.

Controle sua impulsividade

O comportamento impulsivo é um gatilho primitivo de sobrevivência que funcionou por muito tempo. O problema é que reagindo no “automático” não vemos a situação de forma racional e podemos acabar falando ou tomando atitudes que nos arrependemos mais tarde, e não passamos a mensagem que realmente gostaríamos de dizer. 

Quando esses momentos de euforia acontecerem, se reserve. Tire um tempo sozinha para não tomar decisões precipitadas “no calor do momento”. O ato de tirar um momento para si e respirar fundo pode evitar grandes desgastes futuros. 

Observe os seus padrões de comportamento

Identificar suas reações em diversos momentos pode ser um bom começo para garantir o seu bem-estar e das pessoas ao seu redor, e ainda pode reverter qualquer quadro de reações não pensadas. 

Um bom exemplo é se você não está em um bom dia, sentindo-se irritada e impaciente. Primeiro você precisa ouvir o que seu corpo e sua mente estão precisando para atender essas necessidades. Depois entender que dias assim são completamente normais e aceitáveis. 

Com esse reconhecimento, você consegue considerar soluções para tratar a origem dos seus problemas e mudar ou amenizar essa situação. Lembrando que observar não é reprimir! Suas emoções estão aí para dizer o que vai ou não bem com sua mente. Mudar o foco de um dia ruim não é fácil, mas o que não pode acontecer é achar culpado pela maneira como você reage às situações sejam elas quais forem. Se expresse, mas tenha equilíbrio. 

 

Confie em você

A autoconfiança é um dos maiores desafios modernos. Isso porque nos comparamos o tempo todo com o outro, e a grama do vizinho sempre está mais verde. Por isso a Inteligência emocional é tão importante, ela te ajuda a manter sua autoconfiança mesmo que tudo esteja desmoronando. Todos temos nossos medos, angústias, tristezas e defeitos, porém ter a consciência disso já nos torna capazes de superá-los. Mantenha-se firme e exercite um olhar positivo diante dos desafios.

Faça do respeito uma base para todas as suas relações

A empatia, ou a habilidade de entender o lugar do outro, é uma ferramenta incrível para entender as suas relações, e elas sendo saudáveis serão a maior contribuição para o desenvolvimento de seu processo de inteligência emocional. 

O caminho da empatia fala mais de você do que do outro. Se durante aquele desgastante momento você escolher entender os motivos que a pessoa teve para tomar aquelas atitudes se perguntando: “O que eu faria neste lugar?”, essa atitude pode abrir um leque e te ajudar a se conectar com aquela pessoa. 

E como uma dica adicional, e igualmente importante: Não leve tudo para o pessoal. As mensagens que as pessoas passam em momentos de euforia, muitas vezes só dizem respeito a elas mesmas, e o desgaste acaba se tornando desnecessário. Quando compreendemos esse tópico, podemos levar uma vida mais leve e direcionada com o que precisamos para alcançar a inteligência emocional.

Por que a inteligência emocional é tão importante?

A maior importância da  inteligência emocional é, sem dúvida, a qualidade de vida que ela proporciona por estar diretamente relacionada com a saúde mental. Sabemos que problemas emocionais tiveram um crescente aumento quando falamos de diagnóstico de questões mentais pelo mundo. 

Segundo a Organização Mundial de Saúde (OMS), nosso país é o segundo com a maior quantidade de pessoas diagnosticadas com ansiedade, representando 9,3% da população. Outro estudo realizado pela Vittude, que é uma plataforma voltada para a saúde mental, constatou que 37% das pessoas estão com stress severo, enquanto 59% se encontram em estado grave de depressão. 

Neste estudo, foram entrevistadas cerca de 500.000 pessoas e apontou que a ansiedade severa atingiu níveis ainda mais altos com 63%. Entendemos que boa parte desse retrato da sociedade deve-se ao mundo VUCA em que vivemos, sempre cheio de mudanças e situações que fogem do nosso controle, causando muita angústia e a sensação de que não estamos dando conta de acompanhar as evoluções.

É neste momento que a Inteligência emocional se faz tão necessária. É esse controle e equilíbrio das próprias  emoções que nos ajudam a lidar com os desafios diários muito mais tranquilamente e trazem benefícios como: 

  • Aumento da empatia;
  • Maior poder de decisão;
  • Melhora na autoestima;
  • Maior responsabilidade e crescimento;
  • Melhor relação interpessoal;
  • Diminuição da ansiedade e estresse.

Dessa forma, podemos usar a habilidade da inteligência emocional como uma aliada em nossa rotina, aplicando em todas as relações, melhorando a nossa qualidade de vida e da quem nos rodeia.

Pilares da Inteligência emocional

Já dizia Daniel Goleman em seu livro que é a maior referência no assunto: “Inteligência Emocional” (1995) que existem alguns pilares para se alcançar a IE e são fundamentais para controlar nossos impulsos e nos ajudar a transformar relacionamentos, inclusive os profissionais. São eles: o autoconhecimento, o autocontrole, a automotivação, o relacionamento interpessoal e a empatia. Abaixo você confere quais são os detalhes de cada pilar:

Autoconhecimento

Esse pilar está relacionado a conhecer suas próprias emoções e analisar suas emoções como um expectador e as atitudes que você toma em situações de conflito. Você consegue perceber se aquela atitude explosiva está camuflando outros sentimentos? Será que eles não são responsáveis por emoções mais profundas? O autoconhecimento é fundamental para desenvolver essa e outras habilidades. Conhecer suas emoções é o caminho mais saudável para gerenciá-las. Mas lembre-se que se perceber leva tempo e é trabalhoso, mas os resultados são sempre satisfatórios a longo prazo. 

Autocontrole

Autocontrole

Você já conhece suas respostas a diversas situações? Ótimo, a inteligência emocional sempre se inicia com o conhecimento das emoções e assim, ser capaz de gerenciá-las da forma mais efetiva. Agora que esta etapa está entendida, você precisa trabalhar suas emoções e é aqui que entra o autocontrole. 

Você pode experimentar anotar durante uma semana quais os sentimentos foram os mais frequentes e as formas como você respondeu aos estímulos. Ter consciência dessas emoções é o passo mais importante no desenvolvimento dessa habilidade. 

Para controlar as emoções você precisa entender dois conceitos: autopercepção e heteropercepção. Elas se mostram da seguinte forma:

  • A autopercepção:  o que entendemos e percebemos.
  • A heteropercepção: o modo como os outros enxergam a mesma situação.

Muitas vezes entendemos que a forma como enxergamos o mundo é a forma certa, mas existe muita coisa entre o que você entende  e a percepção de outras pessoas. Por isso, entender essa diferença é uma ferramenta fantástica para trabalhar a inteligência emocional.

Automotivação

A automotivação fala sobre algo muito simples, mas que na prática pode se perder. Tudo é mutável e podemos entender que não existe o “nasci assim, cresci assim e nunca mudarei”. O ser humano está em constante desenvolvimento e para que as mudanças possam acontecer é necessário abandonar essa verdade imatura e acreditar que uma mudança é possível. Essa é a automotivação.

A automotivação fala sobre dominar nossas emoções e racionalizar com disciplina para que a evolução aconteça. Ela fala sobre novos padrões de comportamento para incentivo próprio e equilíbrio de vida. É um dos pilares de maior peso dentro da Inteligência emocional.

Relacionamento interpessoal

Para que o relacionamento com as outras pessoas seja benéfico, questões como o equilíbrio entre a empatia, a autoconsciência e o autocontrole são essenciais para conquistar um ambiente saudável em qualquer lugar. 

Esse pilar fala sobre sermos parte de algo muito maior, de precisarmos uns dos outros. Dominando a empatia, é possível construir relações positivas e saudáveis. Quanto mais você conhece as pessoas, maior é o leque de possibilidades que se abre em relação ao outro. Transitar entre os grupos demonstra o quanto você valoriza e respeita o próximo, fazendo com que as pessoas queiram estar com você, pois é um ambiente agradável. 

Empatia

Eu sei, é uma palavra já saturada, mas neste contexto ela tem total sentido, pois, se colocar no lugar do outro e ver com os olhos dele é se despir de arrogância em favor de algo maior: a conexão entre pessoas.

O não julgamento precisa existir nas relações e é um dos pilares mais dominantes quando falamos de inteligência emocional. Só com ela é possível validar e respeitar o sentimento do outro genuinamente e se inserir no ambiente e contexto em que ele está. É entender porque determinada situação gerou certos sentimentos nele e o porquê disso. Lembre-se sempre de que a empatia é um exercício que exige dedicação e esforço.

Inteligência emocional no ambiente de trabalho

Considerada uma das mais importantes soft skills do mercado, já é provado que a Inteligência Emocional aumenta a produtividade e melhora os resultados da empresa. Ela está também entre as habilidades mais desejadas, segundo o relatório Global Talent Report do LinkedIn, seguida por adaptabilidade, colaboração, criatividade, inovação e persuasão.

Deste modo, os profissionais que acertaram nesta habilidade se destacam facilmente e tornam-se líderes de respeito e bons influenciadores, garantindo assim a produtividade e resultados positivos. Para entender melhor elencamos aqui algumas dicas para quem tem o propósito de aplicar a inteligência emocional em sua carreira:  

Tenha autoconsciência: antes de se aventurar a entender como funciona a mente dos outros, você precisa ter o domínio da sua. Suas emoções precisam ser compreendidas para que você identifique quais emoções falam por você em variadas situações. Experimente durante o expediente respirar fundo e fechar os olhos para sentir as emoções que estão acontecendo. 

Trabalhe as emoções negativas: são sentimentos que inevitavelmente vão aparecer em várias situações durante seu expediente. Afinal, nesse momento, ouvi-las e concentrar esforços em sua causa pode ser um caminho de esforço para que não afete suas relações dentro do seu trabalho. 

Seja pragmático: Mantenha uma postura estratégica com seus gestores e colegas, colocando o autocontrole emocional a seu favor. Entendendo quais são as emoções que te ajudarão no dia a dia da empresa, e as colocando em prática, você estará no controle de seus sentimentos e poderá usá-los em seu favor.

Use o poder da palavra: Pode parecer meio clichê, mas a palavra dita é ouvida duas vezes. É ela quem te impulsiona e traz bem-estar no trabalho. Cultive sentimentos como  alegria, satisfação, gratidão e entusiasmo para, novamente, impulsionar o que te faz mais produtivo. 

Seja empático: Olha ela aí de novo! É a forma como você, depois de ter entendido as suas emoções, se conecta com as dos outros e entende seus pontos de vista. Essa habilidade possibilita agir da melhor forma com seus colegas de trabalho para executar o melhor trabalho. E vale lembrar: Empatia não é tratar os outros como você gostaria de ser tratado, e sim entender o contexto e a forma com que a outra pessoa gostaria de ser tratada. 

Escuta ativa: Esta é uma das habilidades mais necessárias no mundo todo, e que é essencial no ambiente corporativo. Existem sentimentos que não estão aflorados e aprender a ouvir os outros vai te possibilitar a entender o comportamento de seus colegas. Essa é uma habilidade fundamental para um líder de respeito. 

Saiba persuadir: Para aprender a administrar as emoções que não são as suas é  necessário uma capacidade persuasiva acima da média. Quanto melhor você conhecer sobre as emoções, mais poderá direcionar o rumo de conversas para alcançar seus objetivos. Sempre levando em conta as necessidades de cada pessoa, a persuasão te possibilita encontrar um caminho através dos argumentos que seja benéfico para ambos. Sem manipulação, não se esqueça.

Desenvolva a sua comunicação: É através da comunicação que a inteligência emocional é materializada no trabalho. Aprender as diferentes técnicas de se comunicar e expressar, possibilita falar com qualquer pessoa sobre qualquer assunto, usando de estratégias, como o rapport (espelhar o comportamento do outro) e criar uma conexão genuína com as outras pessoas. 

A inteligência emocional como ferramenta para vida

Se comunicar para criar conexão com outras pessoas exige muito esforço e é necessário um olhar sincero para nós mesmos. É um exercício que leva tempo e precisamos estar dispostos a lidar com todo o processo que é se conhecer e estar aberto para o inesperado. 

Ao mesmo tempo que esse esforço é requerido, também é muito prazeroso quando os resultados aparecem. Você vai perceber que as pessoas querem estar próximas a você, porque sua comunicação é leve e consegue resolver conflitos de maneira adequada e definitiva.

Os passos ensinados aqui  são ferramentas de aplicação em qualquer fase da vida, e podem te ajudar desde os estudos, no trabalho, família e relacionamentos em geral. Junto com a disciplina,  tenha nesses processos as habilidades necessárias para o sucesso.

Você conhece alguém que precisa desenvolver essa habilidade? Aproveite e compartilhe esse artigo da Bigfral para aprender sobre inteligência emocional.

Se inscrever
Notificação de
guest
0 Comentários
Comentários em linha
Ver todos os comentários
0
Por favor, comente.x
()
x